Curiosidade Científica

  • Orlando Gomes Lisbon Accounting and Business School, Lisbon Polytechnic Institute (ISCAL - IPL), Portugal & CEFAGE research center, Évora, Portugal
Palavras-chave: curiosidade, fronteira da ciência, dispersão da atenção, tentativas de Bernoulli

Resumo

Independentemente do contexto geográfico ou histórico, a fonte primordial de pesquisa científica sempre foi a curiosidade. Antes de qualquer motivação económica, as pessoas envolvem-se em atividades de investigação devido ao seu impulso em conhecer e à sua determinação em descobrir coisas novas. Ao longo do tempo, a curiosidade levou a que a atenção dos cientistas se dispersasse virtualmente por todos os assuntos imagináveis. Neste artigo, um modelo teórico é desenvolvido com o objetivo de investigar as implicações da dispersão da atenção guiada pela curiosidade. A principal implicação é que mesmo num cenário de atenção limitada, a sua disseminação através de um número progressivamente maior de objetos científicos é capaz de conduzir a um resultado de crescimento sustentado de longo prazo do número de atividades científicas prosseguidas com sucesso.

Publicado
2020-12-23
Secção
Artigos